468x60_zanox_10OFF

Brasileirão 2013

Publicado em 16 dez 2013 | por Thiago Rodrigo Alves Carneiro

Portuguesa perde quatro pontos e está rebaixada no Brasileirão 2013

Relato do Julgamento 153/2013

Julgamento da 1a Comissão Disciplinar votou, de forma unânime, pela condenação da Portuguesa de Desportos no Art. 214 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva. Equipe paulista havia escalado o jogador Héverton de forma irregular no jogo Portuguesa 0 x 0 Grêmio pela 38a rodada do Campeonato Brasileiro de 2013, após o mesmo ser expulso na 36a rodada e condenado, dois dias antes do derradeiro jogo, a dois jogos de suspensão.

Defesa do time paulista, comandada pelo experiente advogado João Zanforlin, tentou usar comoção popular, modificação de resultados após o término do campeonato e questão de não dolo ou má-fé, mas não obteve êxito em um julgamento técnico, que procurou estritamente aplicar o CBJD, consoante jurisprudência em questão. Advogado do Fluminense, terceiro interessado no certame, e procurador Felipe Bevilacqua, defenderam a aplicação da norma.

Equipe paulista acaba pagando por um erro crasso e desnecessário, uma vez que já estava livre do rebaixamento e não se resguardou quanto do julgamento de dois dias antes, colocando um atleta reserva e que praticamente nem havia atuado na temporada.

Torcedores da Portuguesa e do Fluminense tiveram confronto verbal na porta do STJD, repleto de policiais para impedir violência entre as torcidas. Manifestações das torcidas na rua foram ouvidas em alto e bom tom no 15o andar do STJD durante julgamento. Ao final do julgamento, lusitanos choraram e tricolores comemoraram, como se fosse um título.

Confira a íntegra do julgamento. Ainda cabe recurso, que deve ser julgado em 2013.

Íntegra do julgamento que rebaixou a Portuguesa

16:27 Em instantes você acompanha o julgamento mais aguardado do ano, com início previsto para 17h30m. Portuguesa e Flamengo, por terem utilizado Héverton e André Santos – respectivamente – irregularmente, correm risco de perder quatro pontos. Caso a punição se confirme, o Fluminense ultrapassa a Lusa na tabela e se salva da degola.
16:30 Portuguesa e Flamengo foram foram denunciados no artigo 214 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) – Incluir na equipe, ou fazer constar da súmula ou documento equivalente, atleta em situação irregular para participar de partida, prova ou equivalente. (Redação dada pela Resolução CNE nº 29 de 2009).
16:31 Brecha da Fifa pode jogar dedução de pontos para 2014 e salvar Portuguesa.
16:32 Torcedores do Fluminense começam a chegar à sede do STJD, no Centro do Rio de Janeiro. Seis tricolores com a camisa do clube protestam no local. A movimentação é intensa de jornalistas, policiais e curiosos. Pessoas que passam por ali se assustam e perguntam sobre o que vai acontecer.
16:33 STJD tem policiamento reforçado em dia de julgamento para definir Série A.
16:35 A expectativa dos torcedores do Fluminense é de sair rindo do STJD nesta segunda-feira.
16:37 Cerca de dez torcedores do Fluminense estão com um tapete e um cartaz escrito: “Tapetão? 1996, 00 e 13”.
16:38 Torcedores de outros clubes, não identificados e também posicionados próximos à sede do STJD, gritam “Terceira, time de terceira”.
16:39 O último representante dos clubes envolvidos a chegar foi Michel Asseff Filho, que defenderá o Flamengo. Os outros representantes já se encontram no plenário.
16:42 Polícia já está posicionada no local para frear reações violentas de torcedores nos arredores do tribunal.
16:45 Engraçado esse circo, é de morrer de rir, a Portuguesa não cai. (ex-vice de futebol do Fla, via Twitter, Marcos Braz)
16:46 Um torcedor do Flamengo chegou identificado. 2014 e exibiu a seguinte faixa: “Flamengo joga no domingo, Fluminense e Vasco, na segunda”. Os gritos de “ão, ão, ão, Segunda Divisão” são constantes no local.
16:48 Um torcedor identificado com a camisa do Vasco chegou perto da Vovó Tricolor (exibida em foto abaixo) e brincou: “Pô, joga a segunda com a gente”.
16:54 Ironia com o termo tapetão, símbolo dos polêmicos julgamentos, não faltou próximo à sede do STJD.
17:00 Está iniciada a sessão no Superior Tribunal de Justiça Desportiva.
17:01 O Fluminense participa do julgamento como terceiro interessado, algo que o Flamengo pleiteia também.
17:01 Plenário lotado no STJD. O número de cadeiras não foi suficiente para acomodar todos. Muitos jornalistas sentados no chão para acompanhar o julgamento
17:02 O relator Felipe Bevilacqua permitiu a participação de Flamengo e Fluminense como terceiros interessados no caso referente a Héverton, atleta da Portuguesa.
17:04 É citada a suspensão de dois jogos imposta a Héverton.
17:07 O auditor Felipe Bevilacqua ainda faz sua explanação sobre o caso de Héverton, da Lusa.
17:11 O advogado João Zanforlim, que representa a Portuguesa no caso, chama um dirigente da Lusa para testemunhar a favor do clube.
17:12 Eu posso narrar todos os eventos que ocorreram e indicando que nós temos dois sistemas de pesquisa para ver a aptidão do atleta. (diretor jurídico da Lusa, Valdir Rocha da Silva)
17:14 Temos vários recursos voluntários, com pedidos de efeito suspensivo que efetivamente não saem diretamente lançados ou publicados no site do STJD ou da CBF. Então nós necessitamos de constante contato com o nosso advogado Osvaldo Sestário Filho. (diretor jurídico da Lusa, Valdir Rocha da Silva)
17:15 Nunca houve um equívoco durante os 11 anos em que trabalho para a Portuguesa. Estávamos aguardando o despacho do efeito suspensivo do Gilberto, que era o nosso mais importante. Não que o Héverton não fosse, ele era utilizado como suplente. (diretor jurídico da Lusa, Valdir Rocha da Silva)
17:16 Quando o atleta era advertido ou pega pena cuja qual penalidade era de apenas uma partida ou absolvido ou advertido por vezes não havia comunicação com o doutor Osvaldo Sestário. Infelizmente na sexta-feira, durante toda semana, do dia 2 quando houve o julgamento do atleta Gilberto, cujo qual foi penalizado com duas partidas de punição. (diretor jurídico da Lusa, Valdir Rocha da Silva)
17:18 Ficamos a semana inteira em constante contato. Na quinta-feira não houve nenhuma resposta e na sexta-feira, por volta das dez horas da manhã, liguei para o Sestário. “Já tem alguma posição sobre o Gilberto?”. Ele disse: “Estou na Linha Vermelha, tenho uma série de julgamentos e no final te dou uma resposta”. (diretor jurídico da Lusa, Valdir Rocha da Silva)
17:20 Ficamos o dia inteiro no site da CBF, que é a forma pelo qual todos os clubes verificam a situação de atuação dentro do site. Nós chamamos internamente de BID das suspensões. Pela nossa costumeira situação, tentei o doutor Sestário, mas em razão dos inúmeros julgamentos que tinha aqui, não tive comunicação e tentei outra vez sem sucesso. (diretor jurídico da Lusa, Valdir Rocha da Silva)
17:20 O sistema da CBF estava perfeitamente em dia, informando que o atleta Bruno Henrique não poderia jogar. Já no sistema em relação ao Héverton, ele estava apto para jogar. Esta é a alegação de Valdir Rocha da Silva.
17:21 Não sei se foi um equívoco de informação ou a confiança no site da CBF. Ele é atualizado diariamente, e os clubes o acessam diariamente para ver se seus atletas têm condições. E na sexta-feira dia 6, o atleta Héverton tinha condições, pois já havia cumprido suspensão automática. (diretor jurídico da Lusa, Valdir Rocha da Silva)
17:22 Pela nossa dinâmica, quando o Osvaldo Sestário não nos informava, sabíamos que era só um jogo de suspensão. Assim, ele já havia cumprido a automática. (diretor jurídico da Lusa, Valdir Rocha da Silva)
17:23 Valdir Rocha da Silva repete por diversas vezes que confiava no site da CBF. E alega que a falta de comunicação com Osvaldo Sestário, advogado da Portuguesa no “caso Héverton”, os intuía a imaginar que a suspensão foi de apenas um jogo.
17:24 Veja como vai funcionar esse julgamento.
17:25 João Zanforlim, advogado da Portuguesa no caso desta segunda-feira, começa a argumentar.
17:25 Valdir Rocha da Silva retoma a palavra.
17:27 Na porta do STJD, muita gritaria e protestos. Os presentes ao plenário, inclusive, escutam a barulheira.
17:28 Valdir é perguntado se ele conhece o Regulamento Geral das Competições da CBF.
17:29 O presidente da Portuguesa, Manoel da Lupa, é convocado para falar.
17:29 Os gritos de “Nense” são ensurdecedores nas cercanias do STJD.
17:31 A responsabilidade você vai assumir (perguntando a Sestário, que teria dito que assumiria a responsabilidade pelo resultado)? Achei muito estranho isso Como fica a Portuguesa? (presidente da Portuguesa, Manoel da Lupa)
17:31 O doutor Osvaldo Sestário sempre foi o advogado da Portuguesa desde quando assumi a direção do clube. A FBA era responsável pela remuneração dele. O jogador foi julgado na sexta-feira, cheguei no clube no domingo à noite. Na terça-feira à noite recebi o comunicado da punição de dois jogos, sei que na segunda-feira foi publicada a decisão. (presidente da Portuguesa, Manoel da Lupa)
17:32 Eles consultaram no dia 6,7,8 e 9. No dia 10 é que constava que o nosso atleta tinha cumprido pena com a Ponte Preta e que não tinha nenhuma restrição para jogar futebol. (presidente da Portuguesa, Manoel da Lupa)
17:34 Detalhe: o STJD fica no 15º andar de seu prédio e é totalmente possível ouvir as torcidas gritando em frente à porta do local. Há tricolores, torcedores da Lusa e dos demais clubes do Rio.
17:35 Acabam de chegar dois ônibus de torcedores da Portuguesa à porta do STJD.
17:39 A Procuradoria do STJD defende que a lei deve ser cumprida.
17:40 O entendimento exposto pela mesma é que a Portuguesa deve ser punida com quatro pontos. A Procuradoria ainda afirma que outros 18 clubes – exceto Lusa e Flamengo – não cometeram erros quanto à escalação de atletas irregulares durante todo o certame.
17:41 A Procuradoria ainda diz que quem deve averiguar as situações dos atletas é o clube e não a CBF.
17:46 A Procuradoria diz a questão da má-fé não é cabível na discussão.
17:46 Ainda usa um dado estatístico. Afirma que 99% dos casos de infração ao artigo 214 do CBJD resultam em punição.
17:48 João Zanforlim volta a falar.
17:49 Se é senha cada um que pode ter a sua, num país sério, senhor presidente. Num certo parlamento de um país que fica na América do Sul tem gente que vota com a senha do outro. Nós estamos aqui hoje na 39ª rodada do Brasileiro. Deveria terminar com 38 rodadas, não vai terminar com 39, 40 ou 41 rodadas. (advogado da Portuguesa, João Zanforlin)
17:50 Perto da Copa do Mundo se há alguma coisa que me irrita é ver os hermanos fazendo gracinha: “Sei lá se a gente ganhar no campo e algo pode tirar algo da gente”. Naquele domingo que terminou o campeonato nós tínhamos jogador chorando, comemorando o seu não rebaixamento ou a classificação para torneios internacionais. (advogado da Portuguesa, João Zanforlin)
17:51 Houve críticas: por que é que não vamos impugnar o procurador-geral que deu entrevistas? Eu gosto quando ele se manifesta, tem um jornal, a prova aí, que tivemos o caso Duque de Caxias, o caso do Fluminense, do Tartá, e o caso do Vasco da Gama. (advogado da Portuguesa, João Zanforlin)
17:52 O artigo 214 é um tipo que exige o dolo. As origens são diferentes e se já analisaram as origens desses casos do Duque de Caxias, do Tartá, do Flu, e que no caso do Vasco do Gama que o presidente dessa casa de justiça, em 2005, foi o que salvou o Vasco, disse o seguinte: “ninguém pode ser punido se não agiu de má-fé”, disse Luiz Zveiter, então presidente. (advogado da Portuguesa, João Zanforlin)
17:54 Luiz Zveiter trocou esse tribunal. Recebi manifestações do Brasil inteiro, jamais poderia imaginar que a Portuguesa fosse tão querida. Ou se as pessoas que se manifestaram não gostam da mudança do resultado obtido no campo de jogo. Para quem estuda direito, eu chamaria atenção para o que fala o nosso código desportivo (CBJD). Os princípios devem ser considerados até antes do direito. (advogado da Portuguesa, João Zanforlin)
17:55 Já teve jornalista que confundiu a moralidade daqui, que é a do direita, com a do sociedade. O jogador jogou 12, 15 minutos. O artigo fala que a partir do momento que ele for inserido na súmula ele já é penalizado. Esse código serve para tudo: aniversário, casamento. Serve para vôlei, basquete. Nessas duas modalidades quem fica no banco de reservas é titular. Entra e sai, entra e sai. No futebol, não. Quem está no banco está na expectativa de jogar. (advogado da Portuguesa, João Zanforlin)
17:56 Esse jogo valia alguma coisa? O Grêmio já era o segundo colocado, e a Portuguesa já havia garantido sua vaga na Série A. Não admito piadas com meus amigos portugueses. “Ah, vamos colocar esse cara para nos prejudicarmos mesmo, para perdermos pontos”. (advogado da Portuguesa, João Zanforlin)
17:58 No caso do Grêmio Prudente dizem que é diferente, lógico que é diferente! Sabe quem era o jogador do Grêmio Prudente? Paulão, titular da zaga, xerifão! Tem até uma história de que quando ele saiu do Mogi Morim e foi para o São Paulo, ele saiu sem se alimentar e desmaiou na apresentação. Deu certo no São Paulo, depois jogou no Cruzeiro. O presidente do Grêmio Prudente queria escalar ele, sim. (advogado da Portuguesa, João Zanforlin)
17:58 Se condenarmos a Portuguesa, nós vamos abrir precedente. Vamos instaurar a fraude! A mutreta! Eu sou empresário de jogador e aí: “vamos negociar, acaba negociando”. Eu boto a mão no fogo pelo doutor Sestário, que jamais faria isso. (advogado da Portuguesa, João Zanforlin)
18:00 Três auditores dessa casa assim decidiram no caso do Naviraiense que a competição não pode ser arranhada. Tenho impressão de que a imprensa tem razão com o termo 39ª torcida. A casa lotada, com torcida lá fora. Se o julgamento fosse no Maracanã talvez tivéssemos condições de receber todos os amigos. (advogado da Portuguesa, João Zanforlin)
18:02 Existe um BID, por que é que a CBF criou? Quem sugeriu a informatização da CBF foi o procurador-geral dessa casa, o doutor Paulo Schmitt. Hoje é informatizado, mas só se fala para cartão amarelo e cartão vermelho. Olha aqui, com timbre da CBF. Descrição de partida a cumprir do dia 6. Automática contra a Portuguesa, cumpriu. Dia 10 é uma segunda-feira (na verdade dia 9). Cumpriu. É segunda-feira, o jogo foi dia 8. (advogado da Portuguesa, João Zanforlin)
18:03 Se a CBF dá um documento desses, se os clubes não podem utilizar esse documento. E quanto ao artigo 133, eu deixo sob a reflexão de vossa excelência. Eu mandei para o senhor, seu presidente, um fax pedindo peças de um processo que eu precisava contratar pareceres que o senhor me despachou hoje. Por que? Porque o senhor não tem expediente aqui. Vamos recorrer a quem? Ao Papa Francisco? (advogado da Portuguesa, João Zanforlin)
18:04 Em respeito à manutenção do que foi feito em campo, queremos que a Portuguesa seja absolvida. (advogado da Portuguesa, João Zanforlin)
18:04 O rebaixamento da Portuguesa é o rebaixamento do direito. (advogado da Portuguesa, João Zanforlin)
18:05 João Zanforlim encerra seu depoimento. Antes disso ele havia soltado um palavrão.
18:05 Michel Asseff Filho, representante do Flamengo, começa a falar.
18:06 É preciso acho que de uma vez por todas o STJD mudar uma interpretação, que, no meu humilde entendimento, vem prejudicando os clubes. É interpretado de forma que atrapalha o advogado e cercear a defesa do clube. Não é possível que um advogado recolha custas com uma decisão tomada às 18h de sexta. Vai ter que preparar um recurso antes de saber o resultado. Não pode se exigir isso de um advogado. (advogado do Flamengo Michel Asseff Filho)
18:07 Ele vem com recurso completamente capenga, como já aconteceu comigo. Trago recurso já sabendo o entendimento do tribunal, entendimento que vejo como equivocado. (advogado do Flamengo Michel Asseff Filho)
18:08 Não é possível. Ou seja: o clube tem que preparar a sustentação para o caso que vai sustentar no dia e ainda adivinhar qual pena será imposta, qual o fundamento dos auditores para condenar o atleta. Inclusive há uma súmula do STJ que poderia ser colocada aqui que um recurso interposto é que o prazo começa na segunda-feira. (advogado do Flamengo Michel Asseff Filho)
18:09 Se o prazo inicia na segunda-feira, não pode o cumprimento da pena se iniciar no dia seguinte. (advogado do Flamengo Michel Asseff Filho)
18:11 Mário Bittencourt vai falar pelo Fluminense.
18:11 Óbvio que o artigo tem que ser interpretado em conjunto com outros artigos. Se existe um artigo que fala de prazo, esse capítulo tem de ser respeitado. Não pode de forma alguma cercear a defesa do clube. Já ouvi todos os advogados falando isso, só que infelizmente já está consolidado dessa forma. Acho que é uma chance de mudar. (advogado do Flamengo Michel Asseff Filho)
18:12 É muito gratificante ser antecedido por dois advogados desse quilate, doutor Zanforlim também jornalista. Saiu do campo técnico para o discurso emocional. Parte da opinião pública jogou a parte técnica no lixo. (advogado do Fluminense, Mário Bittencourt)
18:14 Concordo com a questão jurídica no ponto de vista defendido pelo Michel que pode mudar o código. O Fluminense cumpriu, e o cumprimento da norma faz parte da moralidade. Esqueceram isso, senhor presidente. A verdade é que depois da eclosão de algo que o Fluminense não participou. Para rebaixar o Fluminense, que se descumpra o regulamento. Já ouvi teses absurdas do ponto de vista jurídico. (advogado do Fluminense, Mário Bittencourt)
18:15 Passamos os pontos para o ano que vem. Vira uma conta corrente. Vou ser campeão semana que vem. Que argumento absurdo! Que argumento raso! O Fluminense teve julgamento na sexta-feira, dia 1º, do atleta Felipe. Um dos argumentos que tive foi que era o único meia de ligação. Perdi em caso exatamente igual, pena de duas partidas, ofensa moral. É o princípio da isonomia: valeu para um, tem de valer para todos. (advogado do Fluminense, Mário Bittencourt)
18:16 O Fluminense perdeu o Fla-Flu. Se o Fluminense tivesse empatado aquele jogo e por um minuto não empatou, o Fluminense não tinha caído (Felipe ficou fora do Fla-Flu). (advogado do Fluminense, Mário Bittencourt)
18:17 Na porta do STJD, há uma divisão de torcida como se fosse um estádio. De um lado, os pró-Portuguesa, e do outro os favoráveis ao Fluminense. Flamenguistas dão apoio ao clube paulista com músicas adaptadas das arquibancadas e gritam coisas como “Tá na hora de pagar a Série B”. Cerca de 30 policiais fazem a segurança no local.
18:17 O Criciúma terminou com mais vitórias do que eu, mas nos dois confrontos com o Criciúma o Fluminense venceu. Mas eu assinei o regulamento, e o primeiro critério de desempate é o número de vitórias. (advogado do Fluminense, Mário Bittencourt)
18:18 O mundo sabe que um atleta punido na sexta-feira por esse tribunal não pode jogar no sábado. Se joga uma norma para lá e para cá. Tem uma norma aqui da Fifa, tem uma senha, tem uma norma do regulamento. Meu Deus! O regulamento afirma que controle de cartões é de exclusiva responsabilidade dos clubes disputantes. (advogado do Fluminense, Mário Bittencourt)
18:19 Ele se preocupou com o efeito suspensivo do Gilberto e esqueceram do Héverton. (advogado do Fluminense, Mário Bittencourt)
18:21 Estão aplicando a regra. Vamos atacar o Fluminense, que a gente livra a Lusa. Coação. Estão tentando que esse tribunal decida com o fígado. Eu não podia deixar de expor a parte técnica, mas também tinha que colocar os ‘pingos nos is’. Essa história de que a Fifa não pune jogador em situação irregular? A Fifa exclui seleções de Copa do Mundo. Querem destruir o Fluminense. (advogado do Fluminense, Mário Bittencourt)
18:22 O Goytacaz ganhou no campo a subida para a Série A, escalou um jogador irregular. Ninguém quis saber do Goytacaz, mas ninguém se preocupou. Eu me preocupei por uma questão pessoal, mas o Goytacaz foi punido. O Vasco, há quatro anos, foi punido. A pena previa o dobro do número de pontos. Se fosse há quatro anos, Portuguesa e Flamengo perderiam seis pontos. (advogado do Fluminense, Mário Bittencourt)
18:22 Tenho certeza que essa casa decide com a razão e não com a emoção. (advogado do Fluminense, Mário Bittencourt)
18:24 Em instantes o relator auditor Felipe Bevilacqua vai dar seu parecer.
18:25 Bevilacqua começa sua explanação.
18:28 Bevilacqua afirma que tentaram associar o sistema de punições ao BID, Boletim Informativo Diário da CBF. O último dá conta de regularizações de atletas.
18:30 Bevilacqua indaga se esta foi a primeira vez que a Portuguesa foi punida numa sexta-feira.
18:32 Bevilacqua cita que o Corinthians cairia, que o Botafogo sairia do G-4 caso fosse alterada a questão dos prazos.
18:33 Vamos estar todos reunidos para saber se Corinthians vai cair? Se o Botafogo vai sair do G-4? Não tem o menor cabimento, pelo menos agora. Os clubes devem se reunir para ver se isso é uma vantagem para eles (de a suspensão aplicada na sexta só passar a valer no primeiro dia útil seguinte). Na minha modesta opinião, não é. (auditor relator do caso, Felipe Bevilacqua)
18:35 Movimentação nos arredores do STJD ainda é muito grande. Observa-se muita agitação e gritaria.
18:36 Bevilacqua segue sua longa explanação.
18:37 Volta a falar que não existe valoração da má-fé.
18:38 Advogado do Flamengo no caso, Michel Asseff Filho, reclama dos prazos.
18:38 Zanforlim, advogado da Lusa, diz que punição a Portuguesa abre precedente para fraudes.
18:40 Bevilacqua cita a desclassificação de Guiné Equatorial por escalação de jogador irregular nas eliminatórias da Copa de 2014. Cita outro caso de Cabo Verde.
18:42 Agora ele cita caso ocorrido na Europa, e fala em “STJD da Uefa”.
18:45 Parece claro que houve um descuido da Portuguesa, presidente da comissão disciplinarPaulo Valed Perry
18:45 Paulo Valed Perry, presidente da comissão disciplinar, começa sua explanação.
18:46 Torcida do Fluminense já vibra em frente ao STJD e grita: “Segunda é o c…”
18:47 Gritos de “Nense” são ensurdecedores. Parece que o Fluminense fez um gol.
18:47 Paulo Valed Perry fala em negligência por parte da Lusa e acompanha o relator.
18:48 A PORTUGUESA ESTÁ REBAIXADA, SEGUNDO DECIDIU A SESSÃO REALIZADA NESTA SEGUNDA-FEIRA. CABE RECURSO.
18:48 A PORTUGUESA FOI PUNIDA COM A PERDA DE TRÊS PONTOS DA PARTIDA E MAIS UM OBTIDO NA MESMA, ALÉM DE UMA MULTA DE R$ 1.000,00.
18:48 A Portuguesa infelizmente cometeu infração e o código prevê punição.
18:52 Todos os auditores e o presidente da comissão disciplinar votaram pela punição à Portuguesa. O relator Felipe Bevilacqua acatou a denúncia da Procuradoria para punir a Portuguesa com a subtração de quatro pontos da mesma e ainda pediu uma multa de R$ 1.000,00. Vinicius Augusto Sá Vieira – Acompanha o relator. Luiz Felipe Bulus – Acompanha o relator. Douglas Blackhman – Acompanha o relator. Paulo Valed Perry (presidente).
18:53 Foi solicitada uma pausa de dez minutos. Terminada a interrupção, o caso do lateral-esquerdo André Santos, do Flamengo, será apreciado.
18:58 Leia com detalhes como foi definido o rebaixamento da Portuguesa, que livrou o Fluminense. Confira clicando aqui
19:11 FESTA TRICOLOR: chegada a decisão aos tricolores que estavam posicionados em frente ao STJD, eles fizeram uma festa impressionante. Pularam como se fosse um título e xingaram muito os torcedores da Lusa. Os fãs da Portuguesa, aliás, já deixaram o local.
Em outro cartaz há a inscrição: “Justiça acima de tudo”.
Também é exibida a frase “o balão subiu”.

Spread the love
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Tags: , , ,




Voltar ao Topo ↑