468x60_zanox_10OFF

Brasileirão 2013

Publicado em dezembro 17th, 2013 | por Thiago Rodrigo Alves Carneiro

Diretoria e torcedores da Portuguesa cogitam Justiça Comum para reverter rebaixamento

Na última segunda-feira (16), a Portuguesa foi condenada por unanimidade pelo STJD pela escalação irregular do jogador Héverton na última rodada do Brasileirão 2013 e perdeu quatro pontos na classificação final do campeonato, o que culminou com o rebaixamento da equipe à série B.

Antes mesmo da decisão na justiça desportiva, a atual diretoria já imaginava ser um julgamento de ‘cartas marcadas’ e, esgotadas as possibilidades no âmbito desportivo, o vice-presidente de futebol, Roberto dos Santos, e o atual mandatário, Manual da Conceição Ferreira, já cogitavam ir às últimas consequências, incluindo a FIFA e a esfera jurídica cível, para reverter a decisão. “Vamos consultar as pessoas e o que couber fazer, iremos fazer. Podemos ir à Fifa, ou até à Justiça Comum”, deixou claro o presidente da Lusa, que no ano que vem será substituído por Ilídio Lico, para o próximo triênio. “Você sabe como é o Estatuto do Torcedor. Não preciso fazer nada, mas está cheio de gente querendo fazer. Estamos muito perto de uma Copa do Mundo e não queremos prejudicar o Brasil, mas a Portuguesa não vai cair assim por uma votação desse tipo. A gente aceita, mas não concorda. Vamos rediscutir”, complementou ao portal Terra Esportes.

A nova diretoria que irá assumir o clube em janeiro, comandada pelo presidente eleito Ilídio Lico, descarta ir às últimas consequências, temendo punições severas da FIFA.

Torcedores da Lusa, sejam nas redes sociais, sejam ilustres como o maestro João Carlos Martins, desejam ir à Justiça Comum devido a artigos do Estatuto do Torcedor que estariam sendo desrespeitados com a decisão que acatou o rebaixamento da equipe paulista. Dentre estes artigos, temos os Arts. 33 e 34, onde deverá haver a publicação das decisões do STJD antes dela produzir efeitos, o que não ocorreu. Também há o Art. 55 da Lei Pelé, onde diz que o tempo de permanência de julgadores do STJD não pode superar oito anos (dois mandatos de quatro anos) e Paul Valed Perry já está há dez anos na entidade máxima da justiça desportiva do Brasil.

Os torcedores da Lusa que quiserem ir às últimas consequências deverão ter guardados os canhotos de entrada nas partidas da equipe (ao menos uma partida) ou extratos do programa sócio-torcedor. Desta forma, poderão ajudar a Portuguesa a tentar se livrar desta desagradável surpresa de fim de ano sem que a equipe sofra sanções da FIFA.

Spread the love
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Tags: , , , , ,




Voltar ao Topo ↑